[RESENHA] Extraordinário, de R.J. Palácio

Nome: Extraordinário
Páginas: 320
Editora: Instrínseca 
Autor: R.J. Palácio
Onde comprar?: Eu não lembro e nem faço a minima ideia de onde eu comprei esse livro, juro para vocês! Gostaria de lembrar, mas não lembro! Me perdoem :(

Avaliação: 10
Minha opinião: Eu juro que eu amo quando faço isso que vou dizer agora: Eu tenho um costume que já vi vários leitores também fazendo, que é você ler um livro ou julgando ele pela capa por ser bonito ou simplesmente porque gostou do titulo. Você não pode ler NADA sobre o livro, SIMPLESMENTE NADA e você só lê ele, esperando o melhor ou o pior do livro, se você vai se surpreender ou não é uma caixinha de surpresas. Esse livro foi assim, e ele me surpreendeu. Ele me deu uma lição de vida, e me mostrou coisas que eu não conseguia ver e se você leu o livro e esta achando que vou falar "O preconceito que eles sofrem" ou coisas do tipo, esta enganado. Ele me surpreendeu e me mostrou que mesmo você tendo imperfeições e sendo diferente do que a sociedade vê como algo comum, você pode ser feliz, você pode ter amigos de verdade, você pode ter uma vida, como qualquer outro e obviamente, isso não vale só para os deficientes ou deformados como o nosso personagem, mas para todas as opções que você tiver em sua vida, desde a sua raça, cor ou gênero sexual!! Viva como se não houvesse amanhã e nunca julgue um menino pelo rosto. 
Como não poderia se tornar um best-seller? Como não poderia virar uma modinha? Como não poderia virar um incentivo a todos a mudarem suas vidas a partir da ultima palavra da ultima página? O livro foi feito para isso e conseguiu seu objetivo, R.J. Palácio conseguiu seu objetivo. O livro, na minha opinião, tratou um assunto bem polêmico, mas que não foi forte, não foi aquela coisa pesada que todos após terminarem o livro, ficam chateados e um pouquinho mais perto da morte mental.

Mesmo tratando um tema super tabulado na nossa sociedade pelo medos das pessoas de falarem ou fazerem coisas erradas, mesmo sendo um assunto forte e que infelizmente não temos muito o que fazer, o livro foi bem escrito e conseguiu alcançar muitas famílias e vida, eu creio que o alcance desse livro foi altíssimo e que pode ter mudado até a sua forma de pensar, afinal, não é todo dia que vemos um menino deformado assim como August Pullman.

Um menino que vai começar a estudar, novamente, porque após algum tempo entre brigas e um medo enorme de que seu filho pudesse sofrer por sua aparecia, seus pais decidiram que seria o melhor, afinal, o menino precisava de amigos, precisava enfrentar a nossa sociedade.

August, mesmo tendo medo do que pode acontecer, graças ao seu rosto totalmente deformado por uma doença, onde seus olhos, boca e orelhas estão em locais diferentes do nosso normal, ele mesmo assim ainda enfrenta esse dilema em sua vida. Esse livro, vai te provar, que pessoas que mesmo tendo deficiências, vivem como nós, existem como nós, são seres humanos, então porque não trata-los como um?

Eu entendo o objetivo para o qual o livro foi escrito e não foi só para os deficientes, foram para todas as classes diferentes, foram para as pessoas que são discriminadas pela nossa sociedade, mesmo sendo puras de coração e gentis como August, mesmo sendo uma pessoa normal, com gostos normais, que come também (Ele tem dificuldades para comer, MAS COME COMO NÓS.) que vive como nós, mas mesmo assim as pessoas tendem a ou ter pena de deficientes, ou pavor de gays, ou preconceito com religiões diferentes.

Um alerta para todos os jovens que assim como eu, tendem a sofrer isso, de alguma forma. Mas August começou pela base, começou pela escola, aonde todos nós já sofremos uma descriminação ou um prejulgamento. Se prepare para o mundo August, porque ainda vem muito mais por ai ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário